Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Quarta-Feira, 18 de Outubro de 2017
18/10/2017

Avançar >   Última >>

www.presstur.com
18/10/2017

Tendência de quebra nos voos Espanha - Brasil agrava-se em Setembro

Os voos entre Espanha e o Brasil, que compreende ligações de Madrid e Barcelona com São Paulo, Rio de Janeiro e Salvador, tiveram em Setembro uma queda de passageiros em 8,8% ou oito mil, com quebras em todas essas rotas.

Dados da AENA, gestora dos aeroportos espanhóis, a que o PressTUR teve acesso indicam que a quebra mais forte foi nas ligações entre Madrid e o Rio de Janeiro, em que a Iberia é a única companhia a operar, com -26,3%, correspondendo a uma descida de 3,3 mil, para 9,4 mil.

A maior quebra, em 4,2 mil (-5,8%), foi, porém, na rota mais voada, a de São Paulo, que tem voos de Madrid e de barcelona e em que operam Iberia, LATAM Brasil, Air Europa e Air China, e que concentrou 82,9% dos passageiros em voos entre Espanha e o Brasil, com um total de 68,9 mil.

A rota de Salvador, apenas operada pela Air Europa e que representou apenas  5,7% dos passageiros que voaram entre Espanha e o Brasil em Setembro, teve neste mês uma quebra em 7,3% ou 377.

A quebra em Setembro surpreende apenas por que se antecipava que já houvesse reflexo da reanimação da procura de voos internacionais no mercado brasileiro, depois de um período de crise no Brasil que levou várias companhias a reduzir a frequência de voos nas suas rotas brasileiras, entre as quais a British Airways e a Iberia, do IAG, além da recente estada no Brasil do CEO da Globalia, de que faz parte a Air Europa, Javier Hidalgo, durante a qual anunciou que a sua companhia irá reforçar a presença no Nordeste brasileiro com voos para Recife (para ler mais clique: Air Europa já tem horários para a nova rota Madrid - Recife).

Com a queda do tráfego em Setembro, no conjunto dos primeiros nove meses deste ano os voos entre Espanha e o Brasil estão com uma quebra de passageiros em 7,8% ou 61,4 mil, para 730,5 mil.

Neste período, no entanto, há a excepção da rota de Salvador, que tem um aumento em 15,8% ou sete mil, para 51,2 mil, o que representa 7% do total de passageiros em voos entre Espanha e o Brasil.

A maior quebra dos primeiros nove meses, em 38,2 mil, dá-se na rota Madrid - Rio de Janeiro, que tem uma descida em 32,4%, para 79,5 mil, enquanto na maior rota, Madrid - São Paulo, a quebra é em 4,8% ou 29,9 mil, para 599,5 mil.

Os dados a que o PressTUR teve acesso mostram que relativamente às ligações com São Paulo, a quebra deve-se ao decréscimo em 4,8% ou 24,9 mil nos voos de/para Madrid, para 490,5 mil, enquanto nos voos de/para Barcelona a queda foi em 4,9% ou 5,6 mil, para 108,5 mil.

Assim, o Brasil, que nos primeiros nove meses de 2016 era a 22ª origem/destino de passageiros nos aeroportos da AENA, este ano cai para 26º.

Em Madrid, maior aeroporto espanhol, o Brasil cai de 11ª para 13ª maior origem/destino de passageiros e em São Paulo cai de 32ª para 34ª.

Em relação às companhias que operam entre os dois países, os dados da AENA apenas permitem ver que a LATAM Brasil (antiga TAM) no conjunto dos primeiros nove meses apresenta aumento de passageiros em 13,2% ou 32,5 mil, para 279 mil, pelo crescimento em 44,7% ou 33,5 mil em Barcelona, para 108,5 mil, enquanto em Madrid tem um ligeiro decréscimo, em 0,6% ou mil, para 170,5 mil.

No mês de Setembro, no entanto, a LATAM Brasil teve praticamente uma estagnação no número de passageiros das suas rotas de Madrid e Barcelona, com 31,8 mil +0,8% ou mais 266 que há um ano.

Neste mês esteve em causa o tráfego nos seus voos de/para Barcelona, cujo crescimento abrandou para 1% (mais 119, para 12,4 mil), enquanto em Madrid até teve um ligeiro crescimento em 0,8% ou 147, para 19,4 mil.

 

 

acritica.com
18/10/2017

Avião do Greenpeace cai no Rio Negro com cinco passageiros a bordo

Um avião do Greenpeace Brasil, modelo Cessna Caravan 208, anfíbio motor turbo-hélice, de numeração PR-MPE, caiu na manhã desta terça-feira (17) no Rio Negro, no Parque Nacional de Anavilhanas, entre os municípios de Novo Airão e Manaus. O acidente ocorreu por volta das 11h. A informação foi confirmada pelo Centro de Comunicação da Aeronáutica (Cecomsaer) da Força Aérea Brasileira (FAB). Uma pessoa morreu e outras quatro sobreviveram ao acidente.



O proprietário do barco “Comandante Natal”, Raul de Paula, que ajudou a desvirar o avião no rio, informou que uma lancha pertencente à empresa já resgatou os sobreviventes. Segundo ele, o problema teria ocorrido no trem de pouso do avião, o qual não teria sido aberto no momento do pouso.

“Demoramos quase 30 minutos para desvirar o avião na água. Os sobreviventes conseguiram sair, mas ela ficou lá dentro. O acidente foi a menos de um quilômetro do barco e ficamos assustados”, disse.



Ainda segundo ele, a suspeita é que a vítima seja uma turista européia que fazia uma viagem para o arquipélago de Anavilhanas. Ela teria morrido afogada após o avião se chocar contra a água e virar.

Conforme consulta no site da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aeronavegabilidade do avião era considerada “normal”. O  transporte também tinha peso máximo para decolagem de 3.792kg , com capacidade para 8 passageiros.



Investigação

Por meio de nota, o Sétimo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa 7), órgão regional do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), vai realizar a ação inicial da investigação do acidente envolvendo a aeronave.

A ação inicial é o começo do processo de investigação, onde são feitos registros fotográficos, partes da aeronave são retiradas para análise, relatos de testemunhas e documentos são colhidos. A investigação realizada pelo Cenipa tem o objetivo de prevenir que novos acidentes com as mesmas características ocorram.

Quando a investigação for concluída, o relatório final estará disponível para consulta pública no site do Cenipa: www.cenipa.aer.mil.br

Segundo o capitão Janderson Lopes, do Corpo de Bombeiros, a corporação não foi acionada até o momento para atender a ocorrência.

 

 

diariodegoias.com.br
18/10/2017

Companhias planejam descontos de até 60% na Black Friday de passagens aéreas

A pouco mais de um mês da sétima edição do Black Friday no Brasil, as companhias aéreas tentam se consolidar como umas das principais participantes dos descontos em 2017, seguindo uma tendência que já havia sido identificada pelo Google no ano passado, quando as buscas por bilhetes de avião cresceram 96% na data.

De acordo com o diretor de marketing da agência online ViajaNet, Gustavo Mariotto, a expectativa é que alguns voos tenham redução de até 60% neste ano – principalmente, para destinos nacionais. “A gente se surpreendeu com o volume de vendas e de intenção de consumo das pessoas no Black Friday de passagens aéreas do ano passado e, para mim, as companhias também perceberam que é uma imensa oportunidade”, afirma.



No ano passado, alguns preços chamaram a atenção, como voos para a Europa por cerca de R$ 1.200 (eles custam, em média, R$ 2.500, dependendo da cidade) e para o Nordeste por R$ 600 (nos períodos de férias, uma viagem para a região pode chegar a R$ 1.500). Foi o caso da carioca Thais Fascine, que viajou do Rio para Cuba em janeiro deste ano com um bilhete comprado na última edição da Black Friday. Ela pagou R$ 1.300 nas passagens de ida e volta com taxas incluídas.

“Eu fiquei o ano inteiro procurando uma passagem barata. O mais barato que tinha encontrado era por volta de R$ 1.900. Nem estava acreditando que encontraria uma passagem por menos que isso na Black Friday, mas quando abri e vi o preço, fiquei até espantada. Comprei na hora”, conta ela.

A expectativa por esse ano é que uma nova viagem de férias seja adquirida na última sexta-feira de novembro. “Agora quero ir para a Europa”, completa.

Expectativa

Iniciada em 2011, a Black Friday brasileira parece ter conquistado a confiança do consumidor do país: segundo dados do site E-Commerce News, 67% das pessoas estavam esperando pela edição do ano passado para comprar algo.

Segundo Ricardo Bove, idealizador do evento no Brasil e diretor do portal Busca Descontos, a movimentação financeira dos lojistas de diferentes setores cresceu de R$ 105 milhões em 2011 para R$ 1,9 bilhão no ano passado. A previsão do Google publicada em agosto deste ano é que esse valor cresça 20% na edição de 2017, o que configuraria um novo recorde. O site de buscas também divulgou que 71% dos consumidores de produtos online já compraram algo na Black Friday, que 68% estavam interessados em participar da edição deste ano e 33% pesquisaram os preços durante o ano para comprar as mercadorias na sexta-feira de novembro.

As companhias aéreas, no entanto, ainda não fazem parte do bolo de principais vendedores de produtos. Ainda de acordo com o Google, a maioria das pessoas busca aparelhos eletrônicos durante a Black Friday (44%), com uma margem significativa de buscas por roupas (19%) e games (9%). O setor de aviação sequer aparece entre as preferências do público.

“As companhias aéreas ainda não estão totalmente consolidadas dentro da data, mas a partir deste ano acredito que elas vão começar a se posicionar melhor. Até por isso, os descontos devem ser maiores”, argumenta Mariotto, do ViajaNet.

Ao menos em divulgação, o trabalho já está sendo feito: agências como ViajaNet, Decolar e Kayak começaram em outubro campanhas em redes sociais e nos próprios sites para alertar os consumidores sobre a proximidade da data. “Os resultados vão aparecer depois”, finaliza Mariotto.

 

 


Avançar >   Última >>

Página Principal