Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Sábado, 26 de Maio de 2018
04/06/2010

<< Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>

Site Prestur
04/06/2010

Air France – KLM recupera em Maio

O Grupo Air France – KLM teve em Maio um aumento do número de passageiros transportados em 1,6% ou cerca de 99 mil face ao mês homólogo de 2009, no qual, pela crise económica e financeira mundial tivera uma quebra em 7,8% ou 513 mil, pelo que este ano recupera 19,3% dessa quebra e ainda fica 6,3% ou cerca de 414 mil aquém de Maio de 2008.
Ainda assim, em RPK (passageiros x quilómetros, unidade de tráfego mais utilizada na aviação) a quebra face a 2008 é menor (-4,1%) e, sobretudo, é inferior à redução de capacidade (-5,6%), pelo que a taxa de ocupação dos voos de Maio passado, de 80,6%, é a melhor dos últimos três anos, ficando 3,3 pontos acima de 2009 e 1,3 pontos acima de 2008.
“A continuação da recuperação das actividades de passagens e carga é significativa no mês de Maio, tanto em termos de tráfego como das receitas unitárias”, salienta a informação publicada pelo Grupo Air France – KLM relativamente à operação em Maio, na qual destaca que as taxas de ocupação atingiram “níveis muito elevados”, pela melhoria da conjuntura económica e “gestão prudente das capacidades”.
Em RPK, face a Maio de 2009, no mês passado o grupo teve um crescimento de 4,3%, enquanto a capacidade (em ASK = lugares x quilómetros) se manteve quase inalterada (+0,1%).
O crescimento do tráfego (em RPK) centrou-se nas rotas de longo curso, designadamente nas ligações com América (+5%), Ásia (+9,7%) e África e Médio Oriente (+4,4%).
Nas rotas intra-europeias (incluindo os voos domésticos) e nas ligações com Caraíbas e Oceano Índico ocorreram ainda quebras ligeiras, respectivamente em 0,1% e 0,7%.
Em número de passageiros embarcados, porém, o Grupo teve crescimentos em todos os sectores de rede, à excepção das Caraíbas e Oceano Índico, onde teve uma quebra de 1% ou cerca de dois mil, para 220 mil.
Nas rotas europeias o número de passageiros aumentou 0,3% ou cerca de 11 mil, para 4,293 milhões, nos voos das Américas cresceu 4,3% ou cerca de 43 mil, para 802 mil, nas linhas da Ásia aumentou 9% ou cerca de 37 mil, para 450 mil, e nas ligações com África e Médio Oriente aumentou 4,7% ou cerca de 19 mil, para 436 mil.
Em relação a Maio de 2008, pré-crise crise económica e financeira mundial, as linhas europeias ainda estão com menos 7,8% de passageiros, as das Américas com –5,3%, as da Ásia com –3% e as das Caraíbas e Oceano Índico com –6,8%.
A excepção são as linhas de África e Médio Oriente onde em Maio deste ano o total de passageiros é superior ao do mês homólogo de 2008 em 5,3% ou cerca de 22 mil.
A informação relativa aos dois primeiros meses do exercício 2010/2011, iniciado a 1 de Abril, um mês em que a generalidade das companhias europeias foram fortemente penalizadas por encerramentos de espaço aéreo devido à nuvem de cinzas, indica uma quebra do número de passageiros em 9,4% ou cerca de 1,16 milhões, para 11,169 milhões, que agrava a quebra face ao período homólogo de 2008 para 14,6% ou cerca de 1,9 milhões.

 

 

 

Site Panrotas
04/06/2010

Grupo Águia quer nova aérea operando até o fim do ano

Conforme adiantou o PANROTAS em dezembro de 2009, o Grupo Águia, que atua em diversos segmentos do turismo, e já foi dono da Webjet, tenta nova incursão no ramo da aviação, desta vez, com uma nova empresa, ainda sem nome, para atender especificamente o mercado executivo. Segundo o presidente da nova empresa, Paulo Enrique Coco, que já foi presidente da Webjet e da Transbrasil, além de ter dirigido a Rio Sul, do Grupo Varig, a intenção é que a empresa já esteja operando até o fim do ano.

A frota da empresa, ainda em formação, será composta por helicópteros e jatos. O lançamento deve ocorrer já no segundo semestre. Coco trouxe para sua equipe executivos que participaram da criação da Webjet. Geraldo Souza Pinto, que era diretor de Operações e mantém a mesma função, e José Carlos Martins, diretor administrativo e financeiro. Pedro Mattos, diretor de TI do Grupo Águia, participa do processo de implementação da nova empresa como diretor da área comercial.

 

 

O Globo
04/06/2010

EasyJet testará uso de detector de cinza vulcânica em aviões

A companhia aérea britânica easyJet informou que está prestes a testar um detector de cinza vulcânica. De acordo com a empresa, o sistema vai permitir aos aviões detectar e atravessar com segurança nuvens de cinzas, que são potencialmente perigosas.

Além de prejudicar a visibilidade, as nuvens de cinzas podem causar falhas nas turbinas dos aviões, provocando acidentes. Em abril, a erupção do vulcão Eyjafjallajokull, na Islândia, levou aeroportos de diversos países a manter aeronaves em chão devido à nuvem de cinzas.

O novo sistema, batizado de AVOID (Airborne Volcanic Object Identifier and Detector) utiliza minúsculas câmeras de infravermelho e um radar meteorológico para nuvens de cinza, que permitem o envio de imagens para pilotos e centros de controle de voo. Essas imagens devem possibilitar aos pilotos identificar nuvens de cinzas vulcânicas a uma distância de até 100 quilômetros.

Desenvolvido por Fred Prata, do Instituto de Pesquisa Aérea da Noruega, com apoio da Autoridade Britânica de Aviação Civil (CAA, na sigla em inglês), o novo sistema deverá ser testado pela primeira vez num Airbus 340, nos próximos dois meses. Os testes serão conduzidos pela Airbus em nome da easyJet e devem custar cerca de 1 milhão de libras.

 

 


<< Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>

Página Principal