Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Domingo, 16 de Junho de 2019
15/09/2010

<< Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>

Valor Econômico
15/09/2010

Conversas entre Latam, British e Iberia

Um grupo de executivos da chilena LAN e da brasileira TAM, que anunciaram processo de fusão em agosto para criar a Latam, viajou a semana passada à Europa para conhecer mais de perto a operação da British Airways com a Iberia, empresas que também estão se unindo, informou ontem o "Diario Financiero".

Fontes consultadas pelo jornal dizem que os executivos estariam em Londres, revisando livros das duas companhias europeias, com o objetivo de explorar - quando a aliança entre LAN e TAM estiver concluída - a possibilidade de uma troca de ações entre os dois grupos ou algum tipo de acordo que permita criar uma associação. Fontes próximas à LAN e à TAM indicam que a troca poderia representar de 5% a 10% das ações. Seria uma operação lenta, à espera da criação da Latam, que pode levar de seis a nove meses.

Em e-mail à Bloomberg, a TAM negou "categoricamente" que esteja planejando uma troca de ações com a British e com a Iberia. Segundo a TAM, seus esforços estão voltados para a criação do Latam Airlines Group com a chilena LAN.

A Iberia informou, segundo a Bloomberg, que está focada no processo de fusão com a British e "não pode confirmar nada" a respeito das notícias veiculadas pelo "Diario Financiero". A British não comenta "rumor ou especulação", disse o porta-voz Philip Allport, por e-mail. A LAN não comentou.

 

 

Valor Econômico
15/09/2010

Gol e TAM investem em terminais e lojas para cargas aéreas
As duas maiores empresas de voos regulares já estão entre as três maiores do transporte de remessas
Alberto Komatsu

Ao somar quase 1,7 mil voos diários para cerca de 100 cidades e 262 aeronaves, as duas maiores empresas aéreas brasileiras alcançaram, também, a liderança do transporte aéreo de cargas. Com a crise da VarigLog e a expansão de suas malhas de voos, TAM e Gol já estão entre as três maiores desse setor, apesar de não terem aviões cargueiros nem planos nesse sentido.

As duas companhias aproveitam o compartimento de carga dos aviões. A capacidade total para embarcar encomendas ao lado das bagagens, portanto, depende da taxa de ocupação das aeronaves. Mesmo assim, Gol, a segunda maior, e TAM, a líder nos voos para passageiros, estão investindo em mais capacidade de armazenagem e manuseio de cargas em terminais localizados em aeroportos como Guarulhos e Congonhas.

Gol e TAM também planejam aumentar o número de lojas das divisões de cargas, Gollog e TAM Cargo, respectivamente. Essa área de negócios tem peso similar no faturamento das duas companhias e é mais rentável do que o transporte de passageiros.

O transporte de carga na TAM já responde por 10% do seu faturamento. Na Gol, essa área tem a maior fatia dentro da receita de serviços auxiliares, que corresponde a 11,3% das vendas da companhia. Ambos os dados são relativos ao segundo trimestre de 2010.

A Gollog está mais do que quadruplicando sua capacidade de armazenagem e manuseio de cargas no Aeroporto de Congonhas. A área total do terminal está sendo elevada de 800 metros quadrados para 3,5 mil metros quadrados.

O braço de transporte de cargas da Gol tem atualmente 86 lojas espalhadas pelo país que atendem 1,2 mil municípios. A empresa quer terminar 2010 com 120 unidades em 2 mil cidades. Desse total, apenas duas são próprias e o restante serão franquias.

"O faturamento da Gollog no segundo trimestre de 2010 cresceu 57,8% ante igual período de 2009, enquanto o mercado cresceu 22%", afirma o diretor de cargas da Gol, Carlos Figueiredo. Para o executivo, contribuiu para esse desempenho o crescimento da malha de voos da Gol, assim como o maior número de cidades atendidas. Apesar de ter sido lançado há um ano, as encomendas expressas já respondem por 20% do faturamento.

"Na medida em que não abrimos mão da liderança nos voos de passageiros, também não abrimos mão da liderança de cargas", afirma o vice-presidente comercial e de planejamento da TAM, Paulo Castello Branco.

Em recente entrevista, o presidente da holding TAM S.A., Marco Antonio Bologna, disse que a empresa "não abre mão da liderança no mercado doméstico".

Castello Branco diz que a Absa, que tem como acionista o grupo chileno LAN, é a segunda maior no setor de cargas. A Gol, portanto, estaria em terceiro. Em agosto, LAN e TAM anunciaram a fusão de suas operações, com a criação da Latam. A TAM Cargo planeja investir num terminal de cargas no Aeroporto Internacional de Guarulhos, com 8,5 mil metros quadrados. Castello Branco conta que o projeto deverá ser concluído em 2011. A TAM Cargo também tem terminais em Recife e Manaus.

A companhia também pretende abrir novas lojas da TAM Cargo em Petrolina (PE) e na Colômbia até o fim deste ano. No futuro, Castello Branco não descarta crescer por meio de franquias.

 

 

Folha de São Paulo
15/09/2010

Ação retira porcos ilegais perto do Galeão

A Secretaria do Ambiente do Rio realizou ontem uma operação para apreender porcos criados ilegalmente nas proximidades do aeroporto internacional Antonio Carlos Jobim, o Galeão, no Rio.
O objetivo é reduzir a atração de urubus, que põem em risco o tráfego aéreo.
A ação atendeu a um pedido do Ministério da Defesa, preocupado com os incidentes envolvendo aves no aeroporto -em 2009, foram 94, ante 78 no ano anterior. Em todo o país, foram 945 e 659 incidentes, respectivamente.
Foram removidos cinco chiqueiros em área de proteção nas proximidades da cabeceira da pista do Galeão.

 

 


<< Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>

Página Principal