<< Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>
  • Estadão
    18/10/2010

    Embraer fecha venda de até 125 Phenom para NetJets
    ÁLVARO CAMPOS - Agencia Estado

    A NetJets Inc, uma empresa do grupo Berkshire Hathaway, anunciou hoje que completou um acordo com a Embraer para a compra de até 125 jatos executivos Phenom 300 Platinum Edition. Os termos do acordo não foram revelados. Esse modelo, desenvolvido exclusivamente para a NetJets, terá tecnologia e conforto com base nas exigências dos clientes da empresa. Segundo a companhia, o anúncio é o primeiro passo na execução de um plano de 10 anos para sua frota.

    O presidente e executivo-chefe da Embraer, Frederico Curado, afirmou que "a Embraer está feliz e honrada de ter sido selecionada pela NetJets, uma empresa reconhecida mundialmente pela excelência de suas operações, para desenvolver e entregar o Phenom 300 Platinum Edition".

    O chairman e executivo-chefe da NetJets, David L. Sokol, acrescentou que está "muito excitado sobre o Phenom 300 Platinum Edition, porque seus elementos desenvolvidos especialmente para nós refletem nossos quase 25 anos de experiência, atendendo às necessidades de milhares de empresas e clientes individuais que nos disseram exatamente o que queriam em um avião light". Segundo ele, "ninguém sabe mais sobre as necessidades e exigências operacionais de proprietários de aeronaves particulares do que a NetJets".

    Ainda conforme o comunicado da NetJets, uma pesquisa com proprietários e uma ampla visão dos padrões de voo e exigências de manutenção contribuíram na decisão de escolher o Phenom 300. Além disso, a empresa disse que conduziu uma grande análise com diversas equipes de voo, manutenção, segurança, vendas, finanças e serviços. "Essa é uma aeronave de alta performance que se adapta perfeitamente às necessidades dos nossos proprietários de confiança, alcance, conforto interior e eficiência operacional", comentou Sokol.

    Atualmente, a NetJets opera uma frota global de mais de 800 aeronaves, representando 13 diferentes tipos de aeronaves de vários fabricantes, incluindo a Cessna, Dassault, Gulfstream e Hawker-Beechcraft. De acordo com o comunicado da empresa, o anúncio de hoje em relação à frota light é o primeiro de vários que acontecerão nos próximos anos, abrangendo a frota de categoria light e midsize, além das encomendas já contabilizadas para adquirir mais de US$ 2,95 bilhões em aeronaves. As informações são do site da NetJets.

     

     

    Brasilturis
    18/10/2010

    TAM recebe novo A320 e frota aumenta para 149 aeronaves

    A TAM Linhas Aéreas recebeu uma nova aeronave Airbus A320, vinda diretamente da fábrica da Airbus em Toulouse, França. Com capacidade para transportar até 174 passageiros, o avião  integrará a malha aérea regular da companhia e permitirá ampliar a oferta de voos para atender ao aumento da demanda no mercado doméstico.

    Com a incorporação do avião, a frota da TAM, incluída a da Pantanal, aumenta para um total de 149 aeronaves, sendo 137 modelos da Airbus (26 unidades A319; 84 unidades A320; 7 unidades A321, 18 unidades A330 e 2 unidades A340),  7 da Boeing (4 unidades B777-300ER e 3 unidades B767-300) e 5 ATR-42.

     

     

    Monitor Mercantil
    18/10/2010

    OS LONGOS VÔOS DA EMBRAER
    Primeiro centro de serviços na China

    Em cerimônia realizada nesta segunda-feira (18), em Pequim, a Embraer certificou o primeiro centro de serviços para aviões comerciais na China. Subsidiária do grupo HNA e conhecida anteriormente como Grand China Express (cliente que lançou o jato 190 na China), a Tianjin Airlines será a responsável pela manutenção programada e não-programada nos jatos ERJ 145 e 190 no país.

    A empresa opera a maior frota de jatos Embraer no país e também na Ásia, com 27 modelos 190 e 21 ERJ 145 em operação; além disso, receberá outras 27 aeronaves novas da Embraer.

     

    "A Tianjin Airlines tem desfrutado de vigoroso desenvolvimento desde a sua inauguração em 2009, e demonstra elevado sucesso na operação e manutenção das frotas de jatos ERJ 145 e 190. Estamos orgulhosos em anunciar esta nova parceria", disse o diretor de serviços da Embraer na China, Siu Ying Yeung.

     

    O presidente do conselho de administração e presidente da Tianjin Airlines, Li Weijian, afirmou que vê a nova parceria como "um grande passo da companhia". "Começamos com a aviação regional, depois integramos as rotas principais e os vôos regionais com as operações internacionais e agora entramos no ramo de manutenção de aeronaves. Ficaremos felizes em compartilhar o nosso conhecimento e sucesso com a Embraer".

     

    Juntamente com a Embraer China Aircraft Technical Services Company Limited, criada em julho de 2010, o centro autorizado de serviços da Tianjin Airlines aumenta a estrutura de suporte e serviços ao cliente fornecida para o mercado chinês. Atualmente, 74 aeronaves fabricadas pela Embraer voam na China.

    NetJets

    A NetJets Inc, empresa do grupo Berkshire Hathaway, completou um acordo com a Embraer para a compra de até 125 jatos executivos Phenom 300 Platinum Edition, modelo desenvolvido exclusivamente para a empresa e que promete ter "tecnologia e conforto" baseado nas exigências de seus clientes.

     

    O anúncio é o primeiro passo na execução de um plano de 10 anos para sua frota. O presidente e executivo-chefe da Embraer, Frederico Curado, afirmou que "a Embraer está feliz e honrada de ter sido selecionada pela NetJets, uma empresa reconhecida mundialmente pela excelência de suas operações, para desenvolver e entregar o Phenom 300 Platinum Edition".

     

    Já o chairman e executivo-chefe da NetJets, David L. Sokol, acrescentou que está "muito animado com o Phenom 300 Platinum Edition, porque seus elementos desenvolvidos especialmente para nós refletem nossos quase 25 anos de experiência, atendendo às necessidades de milhares de empresas e clientes individuais que nos disseram exatamente o que queriam em um avião light". Segundo ele, "ninguém sabe mais sobre as necessidades e exigências operacionais de proprietários de aeronaves particulares do que a NetJets".

     

    Atualmente, a NetJets opera uma frota global de mais de 800 aeronaves, representando 13 diferentes tipos de aeronaves de vários fabricantes, incluindo a Cessna, Dassault, Gulfstream e Hawker-Beechcraft.

     

     

    Brasilturis
    18/10/2010

    LAN recebe avião de número 100

    Este Airbus A320-200 é o centésimo da frota da LAN com utilização nas rotas regionais da campanhia.  A nova  nova aeronave faz parte de um pedido de mais de 90 aviões que a empresa receberá, até 2016, quando sua frota possibilitará  um atendimento ainda maior dentro da América Latina, especialmente nas rotas domésticas de suas  afiliadas na Argentina, Peru, Equador e Chile.

    ‘Com a aeronave de número 100, a LAN completa 10 anos e um milhão de horas voadas com a empresa  Airbus. A grande frota da LAN e suas afiliadas é resultado de um trabalho constante de aproximadamente 18 mil trabalhadores que integram estas companhias e que se esforçam diariamente para ganhar a preferência dos passageiros e dos clientes de carga. No ano passado transportamos mais de 15 milhões de passageiros. Com a ampliação da frota, certamente essa cifra aumentará consideravelmente.” – afirmou Enrique Cueto, CEO da LAN Airlines.

    Com 81 anos de existência, a LAN conta com uma das mais jovens frotas do mundo, idade média de seis anos. São 89 aeronaves para passageiros e 11 destinadas a carga, servindo 12 paises. A holding conta atualmente com a LAN Airlines, a Express, LAN Cargo, LAN Peru, LAN Equador e LAN Argentina,

     

     

    Valor Econômico
    18/10/2010

    Companhias aéreas se beneficiam com dólar barato

    O câmbio pode ter efeitos distintos dentro de uma mesma empresa, mas no caso das aéreas o impacto é quase todo positivo. Além de reduzir o endividamento, o dólar barato também diminui de forma importante os custos das companhias, o que deve elevar significativamente as margens no terceiro trimestre.

    Segundo o sócio-gestor da Humaitá Investimentos Márcio Macedo, quase metade dos custos dessas empresas é em dólar, como gastos com combustíveis, pagamento do arrendamento das aeronaves e despesas com manutenção e revisão. Como o petróleo está comportado, não há contraponto na conta de combustíveis.

    Apenas na dívida, descontada a perda de valor de registro dos aviões, Macedo calcula que o impacto positivo da queda do dólar para a TAM deve ser próximo de R$ 400 milhões no trimestre.

    Ele menciona ainda que o real forte estimula a demanda por viagens internacionais, o que também beneficia as aéreas, que voam com os aviões mais cheios.

    Ao olhar o efeito do dólar para empresas como a petroquímica Braskem ou as siderúrgicas, Macedo acredita que a redução da dívida pode não compensar a diminuição de competitividade ante concorrentes estrangeiras.

    Já no setor de carnes, o especialista entende que as empresas brasileiras têm mais facilidade para repassar aumento de preços, dado o menor nível de competição no mercado global, a exemplo do que ocorre com o minério.

    Do lado de quem importa parte da produção, o sócio da Humaitá considera que a varejista do setor têxtil Hering pode ser beneficiada, porque tem custo menor com a parcela dos produtos que compra no exterior (55% das vendas), e não precisa cortar os preços.

    Ele menciona ainda que, de forma geral, há um impacto positivo nos investimentos das empresas, uma vez que boa parte dos bens de capital são importados. (FT)

     

     


    << Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>