RIO DE JANEIRO - 12 DE SETEMBRO DE 2008

O Estado de São Paulo
12/09/2008

Gol terá 800 vendedores na periferia e em favelas
Passagem poderá ser parcelada em até 36 vezes
Alberto Komatsu, RIO

Com prejuízo de R$ 216,7 milhões no segundo trimestre deste ano, sua quarta perda trimestral consecutiva, a Gol enxergou nas periferias e favelas de grandes cidades uma oportunidade de recuperar, ao menos em parte, a rentabilidade. A companhia - que acumula gastos com a compra da Varig que já ultrapassam R$ 1 bilhão - vai contratar, até o final do ano, cerca de 800 pessoas com a missão de vender passagens aéreas de porta em porta.

Os bilhetes poderão ser parcelados em até 36 vezes para “passageiros de primeira viagem”. Esse tipo de venda a longo prazo já responde por 2,5% da receita da empresa. A meta para o ano que vem é dobrar essa porcentagem, recorrendo ao consumo das classes C, D e E.

“Esse cliente mora nas regiões de mais baixa renda. Ele nem sabe que existe um agente de viagem. Nosso propósito é fazer com que ele possa ser cativado e convencido a voar pela primeira vez, pagando parcelado. Depois disso, ele entra para o sistema”, disse o vice-presidente da Marketing e Serviços da Gol, Tarcísio Gargioni, durante palestra na Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, no Rio.

Gargioni disse que já são 700 mil clientes com esse perfil, que integram o programa Voe Fácil e são portadores de um cartão, mas sem a função de crédito. Funciona apenas como uma autorização para usufruir do programa. Já foram vendidas mais de 1 milhão de passagens por meio desse serviço.

A Gol desenvolve, desde meados de julho, em São Paulo, um projeto piloto de venda porta a porta de passagens parceladas, disse Gargioni.

A Gol publicou anúncios, em jornais distribuídos em trens e ônibus da cidade, para recrutar vendedores, incentivando-os a formar clientela entre parentes, amigos e vizinhos, como uma atividade extra.

Agora o programa vai se estender para Rio, Brasília e Belo Horizonte, segundo Gargioni. A Gol está desenvolvendo um meio para integrar o cartão do Voe Fácil com os agentes de viagem, já que a idéia é que esse tipo de canal possa atrair a população de baixa renda. A taxa de inadimplência entre esses consumidores, disse o executivo, é baixa, “parecida com a das Casas Bahia”. A rede de varejo informou que a inadimplência de seus clientes está estabilizada em 10%.

A Gol, que anunciou recentemente a suspensão do pagamento de dividendos este ano aos acionistas, estima que 10% de todos os passageiros que já transportou (em torno de 90 milhões) desde sua origem, em janeiro de 2001, eram estreantes em viagens aéreas, ou seja, 9 milhões de pessoas.

Gargioni afirmou que os vendedores baterão na porta da casa dos potenciais passageiros também com o objetivo de explicar como é uma viagem de avião.

Com essa iniciativa, a Gol tenta reagir à perda de mercado. Segundo dados divulgados na semana passada pela Agência Nacional de Aviação (Anac), a Gol ficou com 34,13% do mercado doméstico, o pior resultado desde janeiro de 2007.

 

 

O Estado de São Paulo
12/09/2008

Infraero tem R$ 1,15 bi a receber da Vasp

A Vasp faliu devendo R$ 1,15 bilhão somente à Infraero, a estatal que administra os aeroportos. Esse é o valor total e atualizado dos débitos que a companhia aérea vinha acumulando com a Infraero ao longo dos últimos 18 anos. O estoque da dívida inclui tarifas de embarque pagas pelos passageiros entre abril de 2004 e fevereiro de 2005 e não repassadas à Infraero, como manda a lei. Só este item, acrescido de juros, totaliza R$ 17,4 milhões.

 

 

O Estado de São Paulo
12/09/2008

Infraero recua e só fará torre
Em nota, órgão diz que demais reformas serão ‘reavaliadas’

Depois de apresentar na terça-feira planos de expansão e melhorias para o Aeroporto Campo de Marte, na zona norte de São Paulo, quinto em operações no País, a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) recuou, ontem. Em nota oficial, distribuída no começo da noite, a estatal, administradora dos aeroportos do País, informou que, por decisão do ministro da Defesa, Nelson Jobim, está mantida apenas a construção da nova torre de controle. A obra, estimada em R$ 16 milhões, já estava prevista no Programa Geral de Obras e Serviços de Engenharia (PGOSE), da Infraero, com o objetivo de aperfeiçoar a segurança de vôo no terminal. Quanto às demais melhorias, diz a nota, “serão reavaliadas pela Infraero e Ministério da Defesa”. Procurados pela reportagem, representantes dos dois órgãos não foram localizados para explicar o porquê da decisão.

O Estado mostrou na edição de quarta-feira que o Campo de Marte passaria por obras que, quando concluídas, aumentariam os pousos e decolagens em até 9%. Na ocasião, o superintendente da Infraero, Alex Barroso Júnior, chegou a cogitar a ampliação do aeroporto daqui a cinco anos. Estava prevista a construção, no próximo ano, de um empreendimento comercial para os passageiros - com centro de convenções, lojas, restaurantes, empresas de táxi aéreo, consultórios e escritórios. A expectativa, na terça-feira, era de que até dezembro fosse feita a licitação. Outro projeto era o de ampliação na largura da pista, estimada então em R$ 60 milhões. A construção da torre de controle, mantida, segundo a nota, deve ser concluída em 2011, e aumentará a visibilidade para até 90%.

Anteontem, o prefeito Gilberto Kassab (DEM) criticou o projeto da Infraero de ampliação do Campo de Marte. “Ele está dentro da cidade, as pessoas moram no seu entorno e, portanto, a sua instalação precisa ser muito bem discutida com a sociedade. Temos problemas no Aeroporto de Congonhas, não queremos um problema a mais na cidade de São Paulo”, disse.

 

 

Folha de São Paulo
12/09/2008

TAM terá celular a bordo a partir de 2009
DA SUCURSAL DO RIO

A TAM informou que, a partir do segundo semestre de 2009, oferecerá um sistema de telefonia por celular a bordo nos vôos para a América do Sul.

Segundo a empresa, o início das operações depende da aprovação da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) e da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Além disso, será necessário adaptar a legislação que autoriza o uso de celular somente enquanto as aeronaves estão em solo de portas abertas.

O primeiro passo para a liberação do uso de celulares em aviões foi dado em abril, quando a União Européia anunciou a liberação em espaço aéreo europeu a partir do segundo semestre deste ano.

Segundo a TAM, a companhia será a primeira a oferecer o sistema no continente americano. O serviço de telefonia móvel a bordo foi criado pela OnAir -joint venture da Airbus e da Sita, uma organização que desenvolve tecnologia de ponta para aviação. A escolha foi feita após dois anos de avaliação. O mecanismo é seguro, diz a TAM, pois impede que o sinal dos aparelhos cause interferência nos comandos da aeronave.

 

 

Invertia
12/09/2008

Aérea pinta avião em protesto contra aliança de concorrentes

O presidente da companhia aérea Virgin Atlantic apresentou nesta sexta-feira sua campanha contra a proposta de aliança entre a British Airways (BA), American Airlines (AA) e Iberia. A empresa pintou um avião com a frase "No Way BA/AA" (sem chance BA/AA, em tradução livre).

Branson afirmou que está preparado para gastar milhões para evitar a união das aéreas. "Se for aprovada (a aliança), acreditamos que a Virgin Atlantic será prejudicada", disse ele.

"Várias companhias estão mantendo o silêncio, pois acreditam que se a aliança entre a BA e a AA for aprovada, qualquer um terá fusões aprovadas", completou o executivo da Virgin Atlantic.

Com AP e Reuters.

Branson afirmou que está preparado para gastar milhões para evitar a união das aéreas

 

 

Invertia
12/09/2008

Alitalia demitiu mais de 5 mil funcionários, dizem sindicatos

O plano de saneamento da companhia aérea italiana Alitalia custou o emprego de mais de cinco mil de seus funcionários, entre demissões e remanejamentos a novas sociedades, segundo os sindicatos locais.

As mesmas fontes assinalaram que o chamado "Plano Fênix", elaborado para o "renascimento" da companhia aérea, prevê a demissão de cerca de mil pilotos, enquanto outros 130 serão transferidos a novas empresas externas à companhia.

A proposta apresentada pela Companhia Aérea Italiana (CAI), que reúne empresários que pretendiam comprar a parte rentável da Alitalia, contempla ainda, segundo os sindicatos, a demissão de 1,6 mil comissários de bordo, 840 no caso de pessoal de manutenção e 950 do serviço de assistência em terra.

Além disso, o fim das atividades de manutenção técnica afetará 800 pessoas, e outras 360, encarregadas das tarefas de carga, passarão a fazer parte de uma nova sociedade.

A CAI anunciou nesta quinta-feira que se retirou das negociações de compra da companhia aérea.

 

 

Jornal do Brasil
12/09/2008

Empresa prevê celular em aviões
Vôos para América do Sul terão serviço de telefonia ano que vem

A TAM informou que, a partir do segundo semestre de 2009, oferecerá um sistema de telefonia por celular a bordo nos vôos para a América do Sul.

Segundo a empresa, o início das operações depende da aprovação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Além disso, será necessário adaptar a legislação que autoriza o uso de celular somente enquanto as aeronaves estão em solo de portas abertas.

O primeiro passo para a liberação do uso de celulares em aviões foi dado em abril, quando a União Européia anunciou a liberação em espaço aéreo europeu a partir do segundo semestre deste ano.

Segundo a TAM, a companhia será a primeira a oferecer o sistema no continente americano. O serviço de telefonia móvel a bordo foi criado pela OnAir – joint venture da Airbus e da Sita, uma organização que desenvolve tecnologia de ponta para aviação. A escolha foi feita após dois anos de avaliação. O mecanismo é seguro, diz a TAM, pois impede que o sinal dos aparelhos cause interferência nos comandos da aeronave.

 

 

Valor Econômico
12/09/2008

Gol investe R$ 78 milhões em centro de manutenção
Beth Koike

A Gol Linhas Aéreas está investindo R$ 78 milhões para ampliar o seu Centro de Manutenção, localizado na cidade mineira de Confins.

Com o término das obras, marcadas para abril do próximo ano, o Centro de Manutenção aumentará sua capacidade de 60 para 120 aviões. "Em 2009, começa o período de manutenção das aeronaves que compramos nos últimos quatro anos", explica o vice-presidente técnico de operações da Gol, Fernando Rockert de Magalhães.

Segundo Magalhães, o centro de manutenção será exclusivamente utilizado para os aviões da Gol, mas em alguns períodos o mesmo poderá ser usado por outras companhias aéreas.

Inaugurado em 2005 com 17,5 mil m2, o centro de manutenção terá com a reforma um total de 28,1 mil m2 de área construída.

Outra novidade da companhia aérea é chegada nesse mês de cinco novas aeronaves. Desse total, quatro aviões Boeing serão para a Varig que com isso completa a renovação de sua frota iniciada em 2007. "No ano passado, quando compramos a Varig, tínhamos 16 aviões antigos. Até o final do ano, toda a frota terá aeronaves novas", diz o vice-presidente técnico de operações da Gol.

 

 

Valor Econômico
12/09/2008

Atrasos da Boeing

As divergências entre a fabricante americana de aviões Boeing e o sindicato que representa seus metalúrgicos são "significativas" e, portanto, devem demorar a ser resolvidas, informou o Valor Online. O executivo-chefe de Finanças da empresa, James Bell, disse que deverá levar a "pelo menos um mês de atraso" no programa do jato da Boeing, o 787 Dreamliner que já está mais de um ano atrasado em relação cronograma original. "Cada dia que ficamos parados é um dia a mais de atraso", afirmou. "Não há grande margem no programa do 787. Acredito que teremos no mínimo um mês de atraso. Não sei se (a greve) terá um efeito multiplicador (no atraso do programa)." Durante apresentação a investidores, o executivo afirmou que tanto a Boeing quanto o sindicato estão em "um período para esfriar a cabeça", após as negociações intensas da última semana.

ACESSE OS SITES DAS ASSOCIAÇÕES E FIQUE BEM INFORMADO
www.amvvar.org.br - www.acvar.com.br - www.apvar.org.br