Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Domingo, 16 de Junho de 2019
14/06/2019

Avançar >   Última >>

Infonet
14/06/2019

Governo e Azul aprovam redução do ICMS no combustível de aviação

Formalizando as negociações realizadas nos últimos meses, o governo de Sergipe assinou, nesta quinta-feira, 13, Termo de Acordo com a Empresa Azul Linhas Aéreas Brasileiras S/A, que oficializa a redução da base de cálculo do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) no consumo de querosene de aviação (QAV) no âmbito do Estado de Sergipe.

A solenidade aconteceu no gabinete do governador Belivaldo Chagas, no Palácio dos Despachos, e contou com a presença do representante da Empresa Azul Linhas Aéreas Brasileiras S/A, Ronaldo Veras, diretor de Relações com o Governo, além do secretário da Fazenda, Marco Antonio Queiroz, da superintendente de Gestão Tributária e Não Tributária da Sefaz, Silvana Maria Lisboa Lima.

A iniciativa integra o conjunto de ações direcionadas ao desenvolvimento econômico estadual, mais especificamente aos setores ligados ao turismo, através da ampliação da malha do transporte aéreo em Sergipe. “Nos últimos meses tenho me dedicado para, juntamente com a Secretaria da Fazenda, usar os instrumentos que temos em mãos, a exemplo da redução da carga tributária, especialmente o ICMS, sobre o combustível de aviação para reverter as perdas de voos em Sergipe. Fico feliz com esse termo assinado hoje com a Azul Linhas Aéreas, porque com a chegada de novos voos em Sergipe haverá o aumento no número de pessoas visitando nosso Estado, o que consequentemente movimenta a economia”, declarou o governador.

Por meio do Termo de Acordo, o governo do Estado reduz, a partir de 1º de julho, a base de cálculo de incidência do ICMS sobre o querosene de aviação (QAV) de 18% para 14,5% com a criação de um novo voo semanal em escala com mínimo de 5 viagens semanais. A partir da criação de mais voos semanais, com origem e destino em Sergipe com mínimo de 5 viagens semanais, a base de cálculo do ICMS sobre o QAV será reduzida de 18% para 12%, sendo que em ambos os casos haja o abastecimento das aeronaves em Sergipe.

“Estamos trabalhando para que, a partir de agosto, a gente já tenha um voo diário para Salvador, cinco vezes por semana, e a partir de novembro ou dezembro a gente já tenha o voo ligando Aracaju a Viracopos (Campinas), que é o nosso maior ramo de conexões. Serão voos permanentes. Normalmente nós colocamos alta estação, mas com esse acordo agora ele vai ser permanente. Essa iniciativa beneficia todas as companhias aéreas que se adequarem. A atitude do governador foi fantástica, porque vai fazer com que a aviação cresça no Estado, que a gente tenha novas perspectivas”, afirmou Ronaldo Veras.

Para o estado de Sergipe, os benefícios oferecidos pelo governo vão proporcionar o aumento no quantitativo de voos e no número de passageiros por voo, com atração de um público com potencial de consumo turístico, ampliando as potencialidades da opção Sergipe nos pacotes de agências em outros Estados. “Se trata de uma ação importante que favorece diretamente o turismo. Vamos começar uma campanha divulgando Sergipe no Brasil como todo, principalmente no Nordeste. A ideia é intensificar a divulgação da campanha em regiões que tenham conexão com o estado”, afirmou Belivaldo.

A partir desse acordo, ações conjuntas entre o governo do Estado e a Azul, para promoção do destino Sergipe poderão ser realizadas.

O aumento na quantidade de voos também proporcionará maior consumo deste combustível em Sergipe, assim como se torna um incentivo à redução do valor médio dos tíquetes de passagem em função do aumento da oferta, trazendo ainda benefícios não somente para a companhia aérea e para o governo, mas, sobretudo para o comércio, a hotelaria, passageiros, agências de viagens e restaurantes.

“Vale ressaltar que em menos de uma semana dois grandes movimentos liderados pelo governador Belivaldo Chagas favorecem a economia do Estado. Primeiro foi assinatura do termo de acordo com a Cencosud trazendo investimentos para Sergipe, quando ela trouxe o Centro de Distribuição de volta ao estado, e agora, o governador entrega para a sociedade mais um protagonismo, trazendo uma empresa de aviação regional, recompondo os voos entre Sergipe e Salvador. Esse movimento que houve com a saída da Avianca Brasil do mercado, fez com que todos os estados sofressem, mas o governador tomou conta da situação e já determinou estudo no sentido de que uma empresa aérea tivesse Sergipe para recuperar os voos. Nós estamos felizes e cremos que o futuro vai ser sempre de muito trabalho em prol de Sergipe, e eu tenho certeza que o governador Belivaldo, com seu jeito de trabalhar vai entregar mais e mais para a população sergipana”, enfatizou o secretário da Fazenda, Marco Antonio Queiroz.

Ainda, em relação ao benefício fiscal do QAV, está sendo proposta uma alteração legislativa, aumentando o benefício fiscal atualmente previsto. Tal proposta consiste em reduzir a base de cálculo do imposto, ficando a carga tributária equivalente a 12% para o acréscimo de um voo; 9% para o acréscimo de 2 voos; e 5% para o acréscimo de 3 ou mais voos, em todos os casos com frequência semanal de pelo menos 05 (cinco) viagens semanais para cada voo.

 

 

GaúchaZ
14/06/2019

Jovem que passa os sábados observando aviões é recebido por piloto e conhece aeronave no Salgado Filho
Em alusão aos oito anos de atividade da TAP em Porto Alegre, o fã foi convidado para visita especial

Quase todo sábado, Lars Berger Hubbe, 24 anos, pega o trem em São Leopoldo e desce na Estação Aeroporto ainda pela manhã. Entra no Salgado Filho, tira seu binóculo da mochila e começa a observar aviões decolando e pousando por horas, até perto de anoitecer.

A paixão por aviação do jovem, que tem déficit de atenção e hiperatividade, e a quantidade de tempo que passa junto às janelas panorâmicas desde os 11 anos lhe dão popularidade entre quem trabalha no aeroporto. E esse carinho lhe oportunizou realizar um sonho na noite desta quarta-feira (12): em alusão aos oito anos de atividades da TAP no Rio Grande do Sul, foi convidado para entrar pela primeira vez num avião da companhia e conhecer a cabine.

É que, de uns tempos para cá, Lars tem voltado suas atenções especialmente para os aviões que fazem voos entre Porto Alegre e Portugal. É tão fã que sabe de cor o nome de praticamente todos os pilotos que comandam as viagens. O jovem não escondia a ansiedade antes de lhe entregarem um crachá temporário para acesso à área de embarque internacional. Quando a coordenadora do terminal elogia sua roupa — usava uma camisa azul, já suada por causa da agitação —, disparou, animado:

— Eu vou entrar na cabine do TAP!

O jovem foi contando a novidade aos funcionários que encontrava — que lhe conheciam pelo nome —, do check-in à área do raio X. Alguns pediram para tirar foto com ele no caminho, para ter algum registro do dia especial do amigo.

— Ele é um fofo — comentou para a repórter a operadora de raio X, após ouvir a boa nova de Lars.

Esperando junto à plataforma sanfonada que dá acesso aos aviões, antes do pouso da aeronave de Portugal, ele aproveitou para "binocular" outros aviões pousando.

— Aquele é o Lan chique de Santiago. E sabe qual é aquele? É da Gol.

Quando viu, de longe, o Airbus A330 da TAP se aproximar, correu pela extensão das janelas panorâmicas para se postar no melhor ponto de observação. "Uhuuuu" foi o que berrou quando as rodas tocaram no chão.

— Gosto de ouvir o som das turbinas — confidenciou também.

Lars foi recebido na porta do avião por toda a tripulação, que pediu uma foto com ele. Recebeu alguns mimos da companhia (uma réplica de um A330 New e chocolates) e o próprio piloto, Ventura Costa, lhe trouxe uma sacola com pasteis de nata da sua terra natal.

— És muito simpático — agradeceu o jovem, que arrancou risadas por deixar escapar um sotaque fake de português de Portugal.

Lars não deixava um segundo de silêncio. Na cabine, disparou uma lista de nomes de pilotos, para saber quais deles Ventura Costa conhecia. Foi autorizado a ligar as luzes do painel no teto e confirmou informações que ele mesmo já sabia — quais eram os botões e alavancas que acionavam trem de pouso e a porta da cabine, por exemplo. O comandante perguntou como ele sabia dessas coisas.

— Eu sou esperto — respondeu.

As homenagens ao filho emocionaram a tradutora Nadja Berger, 57 anos.

— Desde criança, ele sempre gostou de aviões, de ver revistas, colecionar miniaturas — lembra a mãe. — Isso aqui é um sonho para ele.

 

 

InfoMoney
14/06/2019

Para provar que o Boeing 737 Max é seguro, diretores da American Airlines serão cobaias
O modelo da Boeing está impedido de voar após dois acidentes fatais em 2018 e 2019 – e as companhias aéreas perdem muito dinheiro com isso

SÃO PAULO – Diretores da companhia aérea American Airlines querem provar a seus passageiros que o modelo de avião Boeing 737 MAX é seguro. Para isso, eles mesmos servirão de cobaia.

Na quarta-feira (12), Doug Parker, CEO do American Airlines Group, disse a investidores na reunião anual de acionistas que os executivos e equipe da empresa realizarão testes no modelo assim que a administração federal de aviação dos EUA (FAA) liberá-lo para voar.

A ideia é tranquilizar passageiros antes de retomar voos comerciais com o modelo de avião que protagonizou dois acidentes fatais em 5 meses, matando, no total, 346 pessoas.

Desde março, mês do acidente mais recente com um modelo da Ethiopian Airlines, os Estados Unidos e outros países ao redor do mundo optaram por impedir qualquer voo comercial com o Boeing 737 MAX, cujo sistema de bordo foi considerado responsável pelas quedas. Com parte dos aviões inutilizados, as aéreas perdem receita – e a Boeing já passou dois meses sem encomendas de seus produtos.

A Boeing finalizou uma atualização no software da aeronave com intuito de corrigir o erro que causou ambas as quedas. A empresa diz que a aeronave será “a mais segura da história” quando retornar aos ares. Agora, as empresas aéreas aguardam apenas a liberação do governo, prevista para dezembro, para retomar os voos.

Mas os passageiros estão com medo. Uma pesquisa do banco de investimentos UBS em junho descobriu que 41% dos americanos não viajariam em um 737 MAX até que o modelo esteja voando por pelo menos 6 meses.

Em maio, a aérea Southwest garantiu que passageiros que não quisessem voar nesses aviões teriam a opção de alterar suas passagens gratuitamente. Em seguira, a United Airlines fez a mesma garantia. A única aérea brasileira que utiliza o 737 MAX é a Gol, que também mantém as aeronaves inutilizadas desde março.

 

 


Avançar >   Última >>

Página Principal