Avançar >   Última >>
  • PAnrotas
    13/08/2020

    United adiciona novos voos domésticos sem escalas para Flórida

    A United Airlines anunciou hoje (12) planos para adicionar até 28 voos diários sem escalas neste segundo semestre, conectando clientes em Boston, Cleveland, Indianapolis, Milwaukee, Nova York/LaGuardia, Pittsburgh e Columbus, Ohio para quatro destinos populares da Flórida. Os novos voos sem escalas refletem a estratégia contínua da United de administrar de forma agressiva e oportunista o impacto do covid-19, aumentando o serviço para destinos onde os clientes mais desejam voar.

    A companhia aérea aumentará gradativamente esses voos a partir de 6 de novembro, com um novo serviço de ida e volta de Boston, Cleveland e Nova York/LaGuardia para Fort Lauderdale, Fort Myers, Orlando e Tampa. A partir de 17 de dezembro, a companhia aérea aumentará o serviço para a Flórida com voos adicionais de Columbus, Ohio; Indianápolis; Milwaukee e Pittsburgh a Fort Myers e Tampa. Os ingressos já estão disponíveis para compra no site e no aplicativo móvel da United.

    "A adição desses novos voos representa a maior expansão da United de voos ponto a ponto e reflete nossa abordagem baseada em dados para adicionar capacidade onde os clientes estão nos dizendo que desejam ir", afirmou o vice-presidente de Planejamento de Rede Doméstica da United, Ankit Gupta. "Esperamos oferecer aos clientes do meio-oeste e do nordeste mais opções de voos sem escalas para a Flórida neste inverno", completou.

     

     

    Panrotas
    13/08/2020

    Azul renegocia dívida e poupa R$ 3 bilhões em capital de giro
    Rodrigo Vieira

    A Azul Linhas Aéreas entrou em um novo acordo com seus arrendadores de aeronaves e ajustou um novo perfil de pagamento que, segundo comunicado da companhia, resulta em uma economia de capital de giro de R$ 3,2 bilhões do início da crise até o final de 2021. Os acordos representam mais de 98% do passivo de arrendamento da Azul, e segundo a aérea as negociações com os demais arrendadores continuam evoluindo.

    Conforme esses acordos, o cronograma de pagamento será baseado em uma estimativa de retomada da demanda. Estimativa conservadora, segundo a Azul. Como resultado, a companhia estima pagar R$ 566 milhões em aluguel de aeronaves entre abril e dezembro de 2020, uma redução de 77% comparado com os contratos originais. Os aluguéis mensais menores serão compensadas por valores ligeiramente superiores a partir de 2023, ou pela extensão de certos contratos a taxas de mercado.

    "Adicionalmente, como resultado das negociações bem-sucedidas com nossos parceiros, o passivo de arrendamento da empresa deverá diminuir R$ 3,4 bilhões entre o final de março e dezembro, totalizando R$ 12,5 bilhões no final do ano, um reflexo do valor presente dos contratos renegociados de acordo com o IFRS 16", afirma o CFO da Azul, Alex Malfitani, reforçando a importância e a representatividade das despesas com leasing de aviões.

    "Arrendadores de aeronaves representam em torno de 80% de nossa dívida total, e portanto estes acordos são um passo importante para garantir que sairemos desta crise mais fortes e comprometidos com essas parcerias de longo prazo. Estamos orgulhos do apoio que temos recebido de nossos parceiros que, além de arrendadores, incluem tambem nossos tripulantes, bancos e fornecedores”, concluiu o diretor financeiro.

     

     


    Avançar >   Última >>