<< Início   < Próxima  | |  Anterior >   Última >>
  • Aeroin
    05/05/2021

    Com alta demanda por cargueiros, 2º local de conversão de Boeing 777 é definido
    MURILO BASSETO

    Devido ao aumento esperado na demanda por aeronaves cargueiras de corpo largo com capacidade de voo longo, a Israel Aerospace Industries (IAI) definiu que deve estabelecer uma nova instalação de conversão (Conversion Facility) para Boeing 777, em parceria com o Aeroporto Internacional de Incheon e a Sharp.

    Na manhã de hoje, 4 de maio, a IAI assinou um Memorando de Acordo (MoA), com o Aeroporto Internacional de Incheon e a Sharp Technics K, para estabelecer o segundo local de conversão “Passageiro para Cargueiro” (P2F – Passenger to Freighter) na Coreia do Sul. A instalação será especializada na conversão do Boeing 777-300ERSF, o “Big Twin”.

    No âmbito do acordo, o IAI converterá seis B777-300ER e B777-200LR por ano, começando em 2024. O estabelecimento de mais instalações de conversão de aeronaves P2F em todo o mundo é necessário para atender ao aumento esperado na demanda por aeronaves cargueiras de fuselagem larga com capacidade para voos longos.

    O Grupo de Aviação da IAI está trabalhando 24 horas por dia durante este período com o protótipo da conversão P2F do B777 e deve concluir o processo de certificação em 2023. O modelo B777 representa a próxima geração de aeronaves de carga e se juntará à família de conversões da IAI, que já incluem B747, B767, B737NG e B737 Classic.

    Yossi Melamed, VP e GM do Grupo de Aviação da IAI, disse que a assinatura do acordo de hoje com o Aeroporto Internacional de Incheon e a Sharp está diretamente ligada à estreita cooperação da IAI com a indústria de aviação sul-coreana e destaca a confiança e o respeito da IAI na capacidade da Coreia do Sul de estabelecer uma linha de conversão para atender à demanda, junto com a mão de obra treinada necessária.

    “Nos últimos anos, a IAI transferiu a produção de asas de jatos executivos, estrutura principal e partes da cauda para empresas coreanas. Estou ansioso para expandir nossas atividades de cooperação estratégica com empresas sul-coreanas e autoridades governamentais”, comentou Yossi.

    O presidente Kim Kyung-wook da Incheon International Airport Corporation disse que, ao atrair a primeira base de produção de aeronaves de carga de grande porte da IAI no exterior para o cluster de MRO (Manutenção, Reparo e Revisão) do aeroporto de Incheon, haverá um crescimento conjunto e forte contribuição para o desenvolvimento da economia nacional e regional.

    “Com base na infraestrutura de transporte aéreo do Aeroporto Internacional de Incheon, continuaremos a atrair empresas de MRO de aviação de classe mundial para o Aeroporto de Incheon. Pretendemos contribuir para fortalecer a competitividade da indústria de aviação coreana”, comentou Kim.

    Soon-Suk Paik, CEO e presidente da Sharp Technics K (STK), disse: “A conversão de aeronaves de carga requer enormes custos de investimento, tecnologia avançada, certificações internacionais e pessoal de manutenção de aviação qualificado, que refletem as altas barreiras à entrada na indústria de MRO. Embora a STK seja uma empresa privada, como membro da indústria de aviação faremos o nosso melhor no setor privado com a visão de contribuir para o desenvolvimento e os interesses nacionais da indústria de aviação coreana.”

    IAI é um centro de tecnologia nacional e global nas áreas de mísseis de assalto, defesa aérea, radares, satélites, aeronaves remotamente tripuladas (UAVs), aviação e cibernética. A empresa possui extensas operações na Coreia do Sul com foco em manutenção de aeronaves e helicópteros, sistemas de radar aerotransportados e terrestres, sistemas de navegação e optrônica e UAVs.

    Ao longo dos próximos anos, as colaborações também serão expandidas para aeronaves de missão, UAVs estratégicos e UAVs VTOL e sistemas de armamento móvel e preciso.

    O Aviation Group da IAI é uma instalação de conversão de cargueiros de classe mundial e é responsável por: manutenção (MRO), aviões a jato, conversões de aviões de passageiros em cargueiros, montagens aviônicas e aeroestruturas, atualizações de aviônicos e muito mais. Os clientes do Aviation Group incluem: Amazon, DHL e FedEx, entre outros.

     

     

    https://diariodorio.com/
    05/05/2021

    Alerj aprova redução de imposto sobre querosene de aviação
    Governo do Estado defendeu revisão para aquecer funcionamento do Galeão
    Felipe Lucena

    O Imposto sobre Mercadorias e Serviços (ICMS) incidente na saída interna de querosene de aviação (QAV) terá uma alíquota de 7% até o fim de 2035 para as empresas que operam nos aeroportos do estado. É o que determina o projeto de lei 3.941/21, de autoria do Poder Executivo, que a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou em discussão única nesta terça-feira (04/05). A medida segue para sanção ou veto do governador Cláudio Castro.

    Terão direito ao percentual as companhias aéreas de carga ou de pessoas que operem nos aeroportos do estado – seja por operação própria, coligada, por empresa contratada ou codeshare (quando há um acordo de ajuda mútua entre as companhias aéreas que transportam passageiros com bilhetes de outras empresas). A norma valerá tanto para as empresas que operem em HUB (aeroportos considerados Centro Internacional de Conexões de voos) ou em aeroportos do interior. A norma prevê que, para ter direito ao regime tributário, o codeshare deve ocorrer com a operação do voo no mesmo aeroporto. Nos aeroportos do interior, a redução também valerá para voos de helicópteros (com exceção daqueles usados na atividade petroleira e offshore) e voos de táxi aéreo.

    Em audiência pública das comissões de Constituição e Justiça e de Tributação, representantes do Governo do Estado defenderam a revisão como forma de aquecer o funcionamento de aeroportos como o Internacional Tom Jobim, no Galeão, e aumentar o fluxo aéreo do estado.

    “O projeto pode equiparar o Rio de Janeiro a outros estados que, por suas condições tributárias melhores, atraem mais voos. Só com a notícia da deliberação do projeto, muitas empresas se interessaram pelo aeroporto do Galeão, por exemplo, que precisa retomar os voos internacionais”, defendeu o secretário estadual de Turismo, o deputado licenciado Gustavo Tutuca.

    A medida adequa a legislação estadual ao Convênio ICMS 188/17. O QAV representa entre 35% e 40% do custo de voo das companhias aéreas. A norma entrará em vigor dois meses após a sanção.Pedido de adesãoO texto prevê que a companhia aérea deve celebrar um termo de adesão com a Secretaria de Fazenda. No pedido, deverá ser informado o número de assentos ofertados com base nos registros mantidos pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC). O estudo de impacto orçamentário-financeiro será apresentado no ato da regulamentação e a secretaria ficará responsável pelo enquadramento e desenquadramento.

    A medida revoga o Decreto 46.827/19, que estabelecia um percentual tributário que variava de acordo com a quantidade de assentos disponibilizados semanalmente pelas companhias aéreas. O percentual ia de 7% para as empresas com mais de 90 mil assentos semanais a 10% para aquelas com 12 mil a 40 mil assentos semanais.

     

     


    << Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>