<< Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>
  • O Globo
    11/01/2021

    EQUIPES DE RESGATE LOCALIZAM CAIXAS-PRETAS DE AVIÃO NA INDONÉSIA
    Partes de corpos, da fuselagem e pertences são retirados do mar; Boeing 737-500 caiu perto da costa da capital Jacarta com 62 pessoas a bordo
    Deutsche Welle

    As duas caixas-pretas do Boeing que caiu no mar na costa da capital da Indonésia, Jacarta, com 62 pessoas a bordo, foram localizadas, anunciaram neste domingo (10/01) as autoridades indonésias.

    “Localizamos as caixas pretas, as duas”, disse o militar Soerjanto Tjahjanto, chefe do Comitê Nacional de Segurança no Transporte, que faz parte do Ministério dos Transportes. "Os mergulhadores vão começar a procurá-las e espero que não demore muito para que eles as resgatem."

    Partes de corpos, fragmentos de fuselagem e pertences dos passageiros também foram encontrados. As autoridades disseram que mergulhadores recuperaram objetos a 23 metros de profundidade. Os primeiros pertences encontrados foram levados para o porto principal de Jacarta.

    O avião da companhia aérea indonésia Sriwijaya Air que cobre a rota entre Jacarta e Pontianak, na parte indonésia da ilha de Bornéu, perdeu contato com os controladores de tráfego aéreo no sábado, pouco depois das 14h40 (horário local), cerca de quatro minutos depois de decolar.

    IDENTIFICAÇÃO DOS CORPOS

    "Esta manhã recebemos duas malas, uma com os pertences dos passageiros e outra com partes de corpos", disse o porta-voz da polícia de Jacarta, Yusri Yunus, à Metro TV. A polícia "está trabalhando para identificá-los", segundo ele.

    Centenas de membros dos serviços de resgate, da Marinha e 10 navios de guerra participam da busca.

    Mergulhadores colocaram faróis laranja em pelo menos três locais e sonares são usados para localizar a fuselagem.

    O avião, que partiu do Aeroporto Internacional Soekarno-Hatta, de Jacarta, desapareceu dos radares logo após a decolagem enquanto sobrevoava o mar de Java, perto de ilhas turísticas.

    O avião levava 50 passageiros, incluindo 10 crianças, e 12 tripulantes. Todos eles são indonésios, segundo as autoridades.

    FAMÍLIAS ESPERAM NOTÍCIAS

    As famílias dos passageiros, muito perturbadas, aguardam notícias. “Tenho quatro membros da minha família no avião: minha esposa e meus três filhos”, declarou Yaman Zai, que os esperava no aeroporto de Pontianak, chorando. "Minha esposa me mandou uma foto do bebê hoje... Como posso não ficar com o coração partido?", disse.

    De acordo com dados do site especializado FlightRadar24, a aeronave atingiu uma altura de 3.350 metros, antes de cair mais de 3 mil metros em apenas um minuto, perdendo contato com a torre de controle.

    O Ministro dos Transportes da Indonésia, Budi Karya Sumadi, afirmou que o avião parecia estar se desviando de sua trajetória pretendida pouco antes de desaparecer do radar.

    Alguns pescadores que estavam perto do local, citados pela CNN Indonésia e outros meios de comunicação locais, disseram ter ouvido pelo menos uma explosão no momento do incidente. As autoridades não o confirmaram.

    ACIDENTES AÉREOS NA INDONÉSIA

    Em outubro de 2018, 189 pessoas morreram quando um Boeing 737 MAX caiu no mar de Java, 12 minutos após a decolagem.

    Este acidente e outro envolvendo o mesmo modelo de aeronave na Etiópia, foram atribuídos a defeitos técnicos, e a Boeing foi condenada esta semana a pagar uma multa de 2,5 bilhões de dólares por ter enganado as autoridades no processo de aprovação do modelo 737 MAX.

    O avião de Sriwijaya não pertence ao polêmico novo Boeing 737 MAX, mas é um "clássico" Boeing 737-500, fabricado há 26 anos.

    Mesmo antes desde último acidente, mais pessoas morreram em quedas de avião na Indonésia que em qualquer outro país na última década, de acordo com o banco de dados da Rede de Segurança da Aviação (ASN).

     

     

    Aeroin
    11/01/2021

    Sem voar, piloto de avião mostra sua nova vida como pedreiro
    Carlos Ferreira

    O piloto de Boeing 737 Patrick Pawelczak tem ganhado popularidade no LinkedIN ao compartilhar as grandes mudanças pelas quais passou sua vida no último ano. No momento em que essa matéria foi escrita, a publicação da foto acima passava 10 milhões de visualizações, com 276 mil curtidas e mais 8.600 comentários.

    Na imagem, Pawelczak, que tinha um cargo de copiloto na empresa eslovaca Go2Sky, mostra como seu uniforme se transformou nos meses que se passaram, saindo da cabine de comando para um trabalho como entregador da Amazon, mais recentemente, como pedreiro na Catalunha. Ele até faz uma brincadeira dizendo “de piloto a paleta“, que é a forma como pedreiros são chamados em catalão.

    Com bom humor, ele diz: “Ahh… e de pensar que não muito tempo atrás eu estava reclamando sobre os voos noturnos e o fato de eu ter apenas 700 horas (de voo). Isso só confirma, mais uma vez, que nós aprendemos a apreciar as coisas apenas quando nós as perdemos”.

    Mais recentemente, ele fez uma atualização na postagem, onde diz que está muito feliz com todo o carinho que está recebendo e que o inbox dele “explodiu” de mensagens de apoio vindas de todo o mundo.

    “Estou cheio de felicidade lendo suas mensagens – especialmente quando vocês dizem que eu melhorei seu dia com alguma motivação. Sim, a vida é dura, especialmente nos dias atuais, mas não há motivo para desistir. Nós temos que lutar – por vocês e suas família. Vamos manter o otimismo. Você são incríveis”.

    Nos últimos meses, a aviação vem vivenciando uma crise sem precedentes, desde a segunda guerra mundial, de modo que, lamentavelmente, muitos profissionais perderam seus empregos. Mas a esperança de todos é de que isso é temporário, até que todos possa ganhar suas asas novamente.

    Enquanto isso, não importa se como pedreiro, entregador ou motorista, todos os trabalhos são dignos e todo profissional merece todo o respeito.

     

     


    << Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>