Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Segunda-Feira, 15 de Outubro de 2018
11/07/2010

<< Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>

Diario de Marilia
11/07/2010

Usuários criticam TAM e pedem mais companhias como opção de voos
Atendente paulistana diz que táxi de sua casa até Guarulhos fica em R$175

Já desacreditados em uma reviravolta, que mantenha os voos de Marília em Congonhas, os usuários do transporte aéreo de Marília agora pedem que prefeitura e representantes do comércio e das indústrias se empenhem em atrair novas empresas para a cidade.

Essa seria uma alternativa para manter voos entre Marília e São Paulo com desembarques e embarques em Congonhas, já que a direção da TAM - proprietária da Pantanal - manteve a decisão de passar os pousos e partidas da rota para Guarulhos após 1º de agosto.

A atendente Daiane Ribeiro reside na capital e vem com certa frequência à Marília. Ela relata já ter gasto R$ 175 apenas com o táxi entre sua casa e Guarulhos e avalia que a cidade tem porte para receber outras empresas.

“A gente vê cidades de tamanho parecido com várias empresas e aqui o usuário fica refém, agora sem ter nem a opção de ir para Guarulhos ou Congonhas”.

Para a bancária Pauline Bilondo, a melhor saída seria abandonar as negociações com a TAM e investir em outras companhias. “É preciso achar formas de incentivar essas empresas a virem. Não dá para depender da boa vontade da TAM, que pouco se importa para os interesses do município”.

O superintendente do Daesp, Sérgio Camargo, descartou a execução das obras de readequação do aeroporto antes de 2011, uma das exigências da TAM para estudar a manutenção dos desembarques e embarques em Congonhas. Assim, salvo grandes novidades, fica definido que a partir do próximo mês as viagens a São Paulo por avião ficam encarecidas, o que deve prejudicar também de forma severa o turismo de negócios.

 

 

 

Companhias seguem sem definição por Marília

 

 

 

O Diário entrou em contato com algumas companhias aéreas para verificar se há interesse ou mesmo projetos para operações em Marília.

Embora não confirmem que a cidade integre o plano de expansão, algumas empresas afirmam que não descartam Marília como uma possível nova rota.

A Trip Linhas Aéreas, por meio da assessoria de imprensa, informou que só pode falar de novas rotas no momento em que a solicitação esteja aprovada. Contudo, foi destacado o potencial da cidade e tendo em vista que a companhia já opera em municípios próximos, como Araçatuba, ficaria mais fácil trazer para Marília alguma representação.

A assessoria da Azul Linhas Aéreas seguiu o mesmo discurso e confirmou que o interior de São Paulo integra os planos de expansão da empresa. A Gol, uma das companhias mais ativas do país, também foi procurada, mas ainda não se manifestou sobre a questão.

 

 

Site AFP
11/07/2010

Avião da Air France que sofreu falsa ameaça de bomba vai deixar o Recife esta noite

RIO DE JANEIRO — Um avião da Air France que fez um pouso de emergência na noite deste sábado no Recife (nordeste), depois de uma ameaça de bomba, vai retomar a rota em direção a Paris na noite deste domingo, informou a companhia aérea.

"O avião foi liberado, estando prevista a decolagem para as 20h de hoje, do Recife para Paris. Uma nova tripulacao esta vindo de Paris; os passageiros estão hospedados em hotéis e uma equipe da Air France Rio dirige-se a para Recife para auxiliar os passageiros e efetuar o embarque", informou um porta-voz da companhia aérea em São Paulo.

Um passageiro declarou a um site de um jornal brasileiro que "só soubemos da suspeita de bomba quando pousamos".

"Durante o voo, o comandante só disse que teria de retornar".

O Boeing 747 da Air France, com 405 passageiros e 18 tripulantes, realizava o voo entre Rio de Janeiro e Paris quando foi objeto de falsa ameaça de bomba, o que o obrigou a pousar no aeroporto internacional de Guararapes da capital pernambucana.

Segundo a Infraero, que administra os aeroportos brasileiros, houve um telefonema anônimo na noite de sábado, recebido no aeroporto internacional do Rio de Janeiro/Galeão informando sobre a presença de explosivo a bordo.

O avião já sobrevoava o Oceano Atlântico, quando foi obrigado a retornar e pousar.

Depois do desembarque dos passageiros, a polícia revistou os passageiros e a aeronave com a ajuda de cães adestrados.

Há pouco mais de um ano e na mesma rota, Rio de Janeiro-Paris, um Airbus da Air France caiu no mar, causando 228 mortes. A longa busca por vítimas e restos do aparelho ainda está viva na lembrança de brasileiros e franceses.

 

 

G1 - O Globo - 14:44h
11/07/2010

PF e Infraero confirmam que não havia bomba em voo Rio-Paris
Air France já havia informado, por meio da assessoria, que era alarme falso.

Em nota oficial divulgada na tarde deste domingo (11), a Polícia Federal e a Infraero, responsável pelos aeroportos brasileiros, confirmaram que não havia bomba  no voo Rio-Paris da Air France, que fez um pouso não programado no Recife (PE) na noite de sábado por conta da suspeita.

A Air France já havia divulgado pela manhã, por meio de sua assessoria, que se tratava de um alarme falso.

A Infraero, no entanto, informou que era necessário aguardar o fim da inspeção das bagagens e da aeronave antes de descartar a hipótese. A análise foi concluída no começo da tarde.

A Air France remarcou o voo , de número 443, que sairá da capital pernambucana, para as 20h10 deste domingo. A previsão é de que chegue a Paris às 9h50, no horário local.

Apesar de descartada a suspeita de bomba, o voo sairá somente à noite porque a tripulação que estava no voo ultrapassou a carga horária permitida pela regulamentação. De acordo com a empresa, eles estão descansando e darão continuidade ao voo.

A aeronave, que saiu do Rio de Janeiro com destino a Paris com 405 passageiros e 18 tripulantes, pousou na capital pernambucana às 19h53 de sábado devido a uma suspeita de bomba.

A nota oficial que descartou a hipótese de bomba foi divulgada em conjunto por Infraero, o II Comando Aéreo Regional, da Aeronáutica, e Polícia Federal. "Foram finalizados os trabalhos da Polícia Federal na inspeção das bagagens dos passageiros do voo 443 da Air France e não foi encontrado nenhum tipo de artefato explosivo", diz a nota.

 

 


<< Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>

Página Principal