Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Sábado, 19 de Janeiro de 2019
16/01/2019

<< Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>

canaltech.com.br
16/01/2019

Estudo mostra que 48% das empresa de TI não sabem detectar invasões em IoT

Um novo estudo da Gemalto, companhia voltada para segurança digital, aponta que quase metade das empresas de TI (48%) não conseguem detectar violações em seus dispositivos de internet das coisas (IoT). Isso pode ser um problema com que empresas vão ter de lidar neste ano. Segundo a ESET, especializada na detecção de ameaças cibernéticas, o setor de internet das coisas deve ser uma das principais preocupações em segurança de 2019.

Agora a Gemalto se volta a conversar com tomadores de decisão na área de TI em todo mundo — ao todo, foram 950 entrevistados. A Gemalto descobriu que as empresas estão pedindo a intervenção dos governos, com 79% deles solicitando diretrizes mais robustas para a segurança da IoT.

Ainda, 59% tentam entender quem de fato é responsável por proteger esses ambientes de internet das coisas. “Dado o aumento no número de dispositivos habilitados para IoT, é extremamente preocupante ver que as empresas ainda não podem detectar se estes dispositivos foram violados”, disse Jason Hart, diretor de tecnologia de Proteção de Dados na Gemalto. “Sem nenhuma regulamentação consistente orientando o setor, não é surpresa que ameaças — e, por sua vez, a vulnerabilidade das empresas — estejam aumentando. Isto tende a continuar, a menos que os governos intervenham agora para ajudar o setor a evitar a perda de controle”.

 

 

g1.globo.com
16/01/2019

Passageiros filmam clarões perto de asa, e avião que saiu do Santos Dumont pousa no Galeão

Passageiros de um avião que havia acabado de decolar nesta terça-feira (15) do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, viveram momentos de tensão ao verem clarões perto da asa. Com problemas técnicos confirmados, a aeronave precisou pousar no Aeroporto Internacional Tom Jobim, o Galeão, minutos após a decolagem.

Uma das pessoas que estava na ponte aérea conseguiu filmar os clarões, que parecem causados por fogo, como mostrou o RJ2.

A companhia aérea Gol disse que, logo após a decolagem, foi identificada uma "limitação técnica em um dos motores" e, por isso, foi necessário realizar um "pouso alternado". Em nota (veja abaixo a íntegra), informou que os passageiros foram realocados em outros voos e chegaram a Congonhas, em São Paulo. A aeronave, de acordo com a empresa, está sendo avaliada por uma equipe de manutenção.

Íntegra da nota da Gol

"A GOL informa que após a decolagem do voo G3 1025 (Santos Dumont – Congonhas), foi identificada pela tripulação uma limitação técnica em um dos motores, sendo necessário realizar um pouso alternado no aeroporto internacional do Rio de Janeiro. Logo após o desembarque dos passageiros, a aeronave foi encaminhada para avaliação da equipe de manutenção. Os Clientes foram reacomodados nos próximos voos e já desembarcaram no destino final. A companhia reitera que preza pelos mais altos padrões de segurança, valor número um da GOL."

Assista: https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/2019/01/15/passageiros-filmam-fogo-perto-de-asa-e-aviao-que-saiu-do-santos-dumont-pousa-no-galeao.ghtml

 

 


<< Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>

Página Principal