Associação dos Mecânicos de Vôo da Varig
Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2018
20/09/2018

<< Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>

extra.globo.com
20/09/2018

Tripulação esquece de manter pressão na cabine e aeronave faz pouso de emergência

Trinta passageiros de um voo operado pela companhia aérea indiana Jet Airways ficaram com ferimentos leves nesta quinta-feira após a tripulação ter esquecido de selecionar um interruptor para manter a pressão na cabine. Segundo o órgão regulador da aviação civil da Índia, as máscaras de oxigênio caíram logo após a decolagem da capital financeira de Mumbai, e a aeronave Boeing 737, com 166 passageiros, precisou fazer um pouso forçado.

As pessoas com ferimentos leves do voo 9W 697 sentiram dores de cabeça e tiveram sangramento do nariz ou dos ouvidos, informou a diretoria-geral da Aviação Civil em um comunicado.



A Jet Airways informou em um comunicado que o voo da manhã de quinta-feira havia voltado ao aeroporto de origem "devido à perda de pressão na cabine". A companhia lamentou a situação "inconveniente" causada a seus passageiros.

"A aeronave B737, com 166 convidados e 5 tripulantes, aterrissou normalmente em Mumbai. Todos os passageiros foram desembarcados em segurança e levados para o terminal. Primeiros socorros foram administrados a poucos passageiros que reclamaram de dor de ouvido e sangramento no nariz", afirma a nota da companhia aérea, que estaria cortando custos em uma disputa salarial com os pilotos.

Um porta-voz da Jet Airways disse que a tripulação foi afastada e que será aberta uma investigação.

Passageiros registraram em fotos e vídeos o momento marcado pelo nervosismo pouco depois da decolagem, em que as máscaras de oxigênio caíram. Um deles escreveu em uma rede social que "a segurança foi completamente ignorada" pela companhia aérea.

"Situação de pânico por um problema técnico no @jetairways 9W 0697 de Mumbai para Jaipur. O voo retorna a Mumbai após 45 minutos. Todos os passageiros estão bem, eu inclusive", postou um passageiro no Twitter.

Assista:twitter.com/DarshakHathi/status/1042588121634951170

 

 

aeroflap.com.br
20/09/2018

Airbus entrega o primeiro A321 produzido nos EUA adaptado para biocombustível

A JetBlue é a responsável por receber o primeiro avião da família A320 adaptado para biocombustível e produzido nos EUA.

O A321 da companhia pode realizar voos a partir de uma mistura composta por 15% de biocombustível, misturado com o tradicional Querosene de Aviação (QAV). Todo o combustível será fornecido é certificado pela Air BP.

Essa possibilidade de receber aviões adaptados ao biocombustível e certificados pela Air BP existe desde 2016, quando a Airbus implementou a possibilidade para os aviões fabricados em Toulouse, e agora o Centro de Mobile, no Alabama (EUA) também pode entregar esse tipo de avião.



“O setor de companhias aéreas tem metas ambiciosas de redução de carbono, que em uma indústria crescente só serão alcançadas com o apoio de toda a cadeia de suprimentos. Estamos trabalhando em estreita colaboração com companhias aéreas e fabricantes de aeronaves, como a Airbus, para impulsionar a mudança, promovendo e garantindo o fornecimento de combustível de aviação sustentável”, disse o diretor comercial da Air BP, Matt Elliott.

No total a JetBlue espera receber mais cinco aviões com essa adaptação, e fabricados nos EUA, até o fim do ano.



A Airbus aproveitou a ocasião para anunciar que a US Manufacturing Facility em Mobile recebeu oficialmente sua certificação ISO 14001. A ISO 14001 é uma norma voluntária, reconhecida internacionalmente e que estabelece os critérios para um sistema de gerenciamento ambiental.

A Airbus foi a primeira fabricante de aeronaves a ter a certificação ISO 14001 para todas as suas unidades de instalações, produtos e serviços.

 

 

aeroflap.com.br
20/09/2018

Rolls-Royce ameniza desligamento de motor Trent XWB durante voo

A Rolls-Royce sofreu recentemente uma pressão por uma nova falha de motor, agora em um Airbus A350, durante um voo da Iberia de Boston para Madrid no dia 11 de setembro.

De acordo com relatos da companhia, o motor Rolls-Royce Trent XWB-84 teve uma falha durante o voo, a 41000 pés, e entrou em modo de emergência, resultando no desligamento do mesmo. Após isso os pilotos tiveram que religar o motor do avião.



A tripulação optou por retornar para Boston após o problema, mesmo estando perto da Nova Escócia.

O que alarmou ainda mais a Rolls-Royce é o tempo de operação da aeronave, que foi entregue em julho deste ano. Para a fabricante, o problema tem relação com um desgaste acentuado das paletas variáveis, localizadas na parte do compressor, antes da câmara de combustão.

Desde então a fabricante vem investigando as causas do incidente, analisando o motor em solo e os dados de telemetria. Inicialmente isso descartou qualquer relação de problemas com os motores Trent XWB-97, usados pelo A350-1000, mas o alerta foi emitido para o XWB-84.

Agora a Rolls-Royce está investigando se esse caso está ligado aos problemas dos motores Trent 1000, que equipam o Boeing 787, mesmo com a presença de arquiteturas diferentes.

 

 


<< Início   < Voltar  | |  Avançar >   Última >>

Página Principal